Terça, 25 de Janeiro de 2022 07:40
(45) 99927-6758
Foz do Iguaçu Itaipu Binacional

Mesmo em ano de seca, energia gerada por Itaipu seria suficiente para suprir 36 milhões de residências

Em 2021, usina produziu 66,3 milhões de MWh, abastecendo 8,4% do mercado brasileiro e 85,6% do paraguaio.

04/01/2022 17h44
Por: Redação Fonte: Comunicação Itaipu
Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional
Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

Apesar da seca em 2021, a geração anual da hidrelétrica de Itaipu demonstra que a usina segue sendo vital para a segurança energética do Brasil e do Paraguai. No ano que passou, ela gerou 66.369.253 megawatts-hora (MWh), que abasteceram 8,4% do consumo brasileiro de eletricidade e 85,6% do paraguaio.

O total gerado pela usina brasileiro-paraguaia seria suficiente para abastecer cerca de 36 milhões de residências (considerando o consumo médio de uma família brasileira, de 152 kWh/mês) e equivale aproximadamente à produção das duas maiores hidrelétricas totalmente brasileiras somadas: enquanto Tucuruí registrou 33 milhões de MWh, Belo Monte produziu 31 milhões de MWh. 

Para o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general João Francisco Ferreira, a empresa tem superado o cenário adverso da estiagem com uma produção cada vez mais eficiente, assegurando energia limpa e renovável para os consumidores brasileiros e paraguaios. 

“Em um mundo que discute como produzir energia sem emitir gases do efeito estufa, a Itaipu segue sendo vital para posicionar o Brasil e o Paraguai entre os países com as matrizes energéticas mais sustentáveis”, afirmou o diretor, destacando também a estratégia ambiental da empresa, de preservar os ecossistemas para proteger o reservatório e, consequentemente, assegurar a geração de energia no longo prazo. 

Produtividade

A baixa afluência do Rio Paraná nos últimos dois anos levou os técnicos da binacional a aprimorarem continuamente a coordenação entre a geração de energia e a necessidade de periodicamente parar cada unidade geradora para a realização de manutenções preventivas, considerando também a quantidade de água que chega ao reservatório e a demanda por eletricidade dos sistemas de ambos os países. 

Essa estratégia, que busca tirar o máximo proveito da água para a produção de energia, tem levado a usina a quebrar sucessivos recordes de produtividade. Em 2019, para cada metro cúbico de água que passou por segundo pelas unidades geradoras foi produzido 1,079 MW, até então, a melhor marca da usina. Em 2020, o índice melhorou, chegando a 1,087 MW médio por m3/s. 

Em 2021, os técnicos da Itaipu aprimoraram ainda mais esse processo de gestão e, pelo terceiro ano consecutivo, estabeleceram um novo recorde de produtividade, com 1,098 MWméd/m³/s, com destaque para o mês de julho, quando foi atingida a melhor marca mensal na história da usina, com 1,1221 MWméd/m³/s.

Para o diretor técnico executivo da Itaipu, Celso Torino, a busca constante por maior eficiência é uma estratégia que a Itaipu vem aprimorando há vários anos e deverá permanecer como uma importante lição aprendida, mesmo em um cenário de recuperação hidrológica no futuro. “Essa sintonia entre as equipes será fundamental para assegurar, também, a máxima produção durante o processo de Atualização Tecnológica da usina”, afirmou Torino.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias